quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Quero paz e um cigarro

O quão distorcida é a minha mente por considerar reconfortante o cheiro a tabaco?
Enquanto outras pessoas se repugnam, não o consigo desassociar de uma sensação apaziguadora e apetece-me embrenhar-me no cheiro, que misturado com o da pessoa que o traz até mim, faz-me querer agarra-la e aninhar-me nela.
Não fumo desde o Natal e sei que um cigarro me iria fazer mal em mais do que um aspecto mas honestamente, quero paz e um cigarro. 

Sem comentários: