sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Bairro - O Filme


Tantos assaltos, tanta badassery para perder a essência de vingança da Diana nos primeiros 30 segundos e nunca mais se tocar nela o filme todo.

Começou mal. Tenho mesmo de meter uma coisa na cabeça "lá porque leste o livro, convence-te que quem faz o filme está-se a cagar para isso e vai adaptar as coisas à sua maneira, mudando o que tu achas crucial".
Talvez por ter lido o livro, tinha feito outra ideia do que seria o Bairro Estrela Polar e a personagem principal, a Diana. Principalmente a falta do elemento terra à terra que não vejo na interpretação da Maria João Bastos, que mais parece uma tia rica num casarão plantado no meio do bairro que lidera a escoria lá do sítio. Peco pela minha ignorância, mas mesmo sendo um bom bandido, não é suposto manter o low profile e não demonstrar sinais exteriores de riqueza?
Bem, vamos ignorar esse ponto mas o que não posso deixar passar ao lado é terem relegado para meia dúzia de segundos a vingança contra as pessoas que motivaram a morte do seu pai, a razão de ser de toda a vida de crime que ela tem. Ora pois, adeus motivo, adeus essência da história!

O cinema português tem capacidade para fazer muito mais que isto. Começa a interessar-se mais por ter show off, um cú bom na tela e umas cenas de sexo do que conteúdo, falas credíveis e cenas que nos façam sentir que retratam o quotidiano que nos é familiar.
Familiar foram alguns locais utilizados para as filmagens, quase à porta de casa :)

Lado positivo, continuo a não achar graça nenhuma ao Paulo Pires como actor, a Maria João Bastos é boa que se farta, acho que foram muito fieis aos membros do gangue e do bairro e o fim, mesmo com falhas, foi melhor que no livro.

Ah e as pipocas eram boas!

Crítica ao livro sai esta semana no blog ali do lado - Efeito dos Livros

Sem comentários: