quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Tenho saudades do quente


Tenho saudades, nem é da primavera, é mesmo do verão
De uma tarde no manto verde do jardim
do adormecer num abraço quente, que respira e transpira ao meu lado
que me sussura ao ouvido, como os pássaros que nos sobrevoam, que nos volteiam quando passam de árvore em árvore.

Tenho saudades do quente de uma tarde de verão
de sentir o corpo a escaldar
de abrir os olhos tonta pelo excesso de luz 
de sentir uma mão quente no rosto, no braço ou na perna
de sentir a relva seca no chão.

Tenho saudades!

1 comentário:

Turista disse...

Querida Elsar, lindo este teu texto. Mas que eu também tenho saudades, tenho. :)