quarta-feira, 6 de junho de 2012

"Uma vez por dia não sabe o bem que lhe fazia"


Sinto que todos os dias eu tento o destino, exponho-me e vou atrás. Se ele não está decidido em vir ao meu encontro, eu faço todos os possíveis para o seduzir na minha direcção, todos os dias, pelo menos uma vez por dia. 
Dizem que "uma vez por dia não sabe o bem que lhe fazia" e aplica-se a muitas coisas, aplica-se a perseguir o destino porque mesmo quando perco ganho, porque tentei e a vida não pode dizer que estou sentada a vê-la passar por mim, simplesmente à espera que o futuro me caia no colo. 
Porque se ele não cai, eu puxo-o, empurro-o, e possivelmente, num futuro assustadoramente próximo ainda causo um acidente para ele venha contra mim.
Eu aproximo-me do que pode ser o meu destino todos os dias, mesmo quando ele não nota em mim, quando se afasta indiferente ou quando apenas sorri do outro lado do comboio.
O futuro, o destino, mais um dia ou menos outro, a vida em geral. Se não estivermos predispostos, bem que podem tropeçar, cair e rebolar à nossa frente que nos seria indiferente. Não quero ser indiferente, se a vida acaba um dia de cada vez, eu não quero perder nem mais um sem saber saber que sorri, olhei, sonhei, segui, falei, tentei pelo menos uma vez, porque basta uma vez, aquela vez, para agarrar destino que parece que teima em fugir de mim.
Se tudo termina, eu pelo menos termino a tentar.

ElsaR


Sem comentários: