quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Preach them, sista!

vamos lá republicar algo que me deu gosto ler
porque concordo com todas as virgulas e pontos (embora eu seja péssima e raramente uso pontuação)

14.9.11

Antes miserável que sozinho.

Juro que é a ideia que faço de tantas e tantas pessoas.
Um pavor a não terem alguém que as espere ao fim do dia. A não terem um acompanhante nos eventos familiares e sociais. Um medo de serem vistos como encalhados/as. Uma sucessão de erros atrás de erros, justificados por "não serem felizes". Um "é suposto".

Também já tive esse medo: de não conseguir ser feliz sozinha, de precisar de ter alguém, de achar que a infelicidade que sentia era "normal", porque "não se pode ter tudo", de pensar "então e agora? o que é que vou fazer?".

E depois, acordei.
Dia após dia ganhei mais confiança, comecei a gostar de estar comigo, a apreciar melhor as coisas que gostava, a ir onde queria e quando queria, a não depender de ninguém, a andar por aí, a gostar mais de mim (e que falta isso me fazia...).

O que posso dizer é que é uma aprendizagem necessária.
Quando não conseguimos estar connosco, não podemos estar com ninguém. 
 

Sem comentários: