sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Making my Day :: Republicar Bagaço Amarelo

1.21.2011

pensamento catatónicos (230)

Podemos coleccionar tudo. Selos, moedas, cromos, livros, discos, pacotes de açúcar ou postais. Esquecendo as coisas, também podemos coleccionar amizades, sejam elas na vida real, no facebook ou noutro sítio qualquer da internet. A única coisa que não coleccionamos é o Amor. O Amor não se dá com colecções, e mesmo quando temos vários é sempre um a seguir ao outro, não ao mesmo tempo.
Bem sei que há homens e mulheres com várias ou vários amantes, mas isso não é Amor. Não estou a dizer que isso é mau e não se deve fazer. Na verdade até acho que se deve quando se é feliz assim. Estou só a dizer que isso não é Amor, quando muito é uma tentativa de o ter. Uma das características do Amor é não nos sentirmos em mais ninguém.
Pensei nisto agora porque, em conversa com um dos amigos da minha colecção de amigos, ele disse-me que anda a coleccionar amores desde que se separou do seu Amor de sempre. Perguntei-lhe se estava feliz e ele abanou os ombros. Nunca estamos mesmo felizes quando coleccionamos abanões de ombros, respondi-lhe. E ele concordou.
Não entendam isto como um manifesto pró-monogâmico, até porque não o é. Isso seria apenas paleio de merda. Muito pelo contrário, acho que a tristeza de um homem, em tempos de solidão, se pode apagar por momentos nos braços duma estranha que se conheceu na internet, duma amiga que não se ama ou duma colega de trabalho. O mesmo se passa com as mulheres. Afinal de contas o sexo faz milagres. Acredito nisso e até acredito que haja quem goste de viver assim. Só estou a dizer que para mim uma das características do Amor é não nos sentirmos em mais ninguém.


só posso acrescentar, com a minha mente meia atravessada:
"por mais quecas que dês, não preenches o vazio que tens cá dentro"
MAS
Não perdes nada em tentar....a prática faz a perfeição :D